• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

Ecossistema

  • Jomara Fernandes

Você tem feito seu Planejamento Estratégico alinhado ao seu Propósito?

Ou acha que Propósito e Planejamento Estratégico não combinam?


Planejamento Estratégico tem sua origem nas guerras militares, as quais têm como principal objetivo vencer o inimigo. No campo da Administração, como ciência social, foi na década de 50 que surgiu a primeira escola de Planejamento Estratégico como uma forma de alinhar as capacidades internas de uma empresa com suas expectativas externas. Atualmente, após o surgimento de várias escolas, pode-se dizer, de forma geral, que é o método pelo qual uma organização busca atingir seus objetivos e perspectivas.

Já Propósito, pode ser entendido como a forma única de uma entidade (ser individual ou ser coletivo) prosperar (evoluir e se desenvolver nas esferas individual, social, econômica e espiritual) e contribuir para a prosperidade do sistema ao qual ela é parte. No contexto organizacional, essa forma única de existência da entidade é percebida em sua cultura organizacional, que embora trate do coletivo, é o que diferencia uma organização de outra.


A combinação desses conceitos, Planejamento Estratégico e Propósito, tem como elemento principal: a visão de mundo[1] dos dirigentes das organizações. Se a visão de mundo for baseada em escassez, competição, lucro pelo lucro e relações ganha-perde, esses dois conceitos (Planejamento Estratégico e Propósito) são incongruentes. Porém, se a visão de mundo for integradora, sistêmica, evolutiva e de longo prazo, Propósito e Planejamento Estratégico deveriam estar sempre juntos, pois potencializam-se.


Antes de seguir, cabe aqui uma parada para falar um pouco sobre propósito e missão.


Missão e Propósito podem ser sinônimos ou não. Se a missão levar em consideração a forma única de existência da organização, sua forma de prosperar e de contribuir para o todo, e ainda, servir de balizador de decisões, orientador de comportamentos, ser inspirador e aspiracional, e gerar engajamento, então nesse caso, Propósito e Missão são sinônimos. Caso contrário, não!


Voltando ao tema, a vantagem de um planejamento estratégico elaborado e executado a partir do propósito da organização, é que haverá necessariamente um acolhimento da estratégia pela cultura organizacional. Ou seja, a estratégia não será “engolida no café da manhã”, como disse Peter Drucker, porque haverá congruência entre elas gerando sinergia para fazer o que deve ser feito.


A metodologia Purpose Mining para Planejamento Estratégico a partir do Propósito faz isso da seguinte maneira: minera os aspectos do propósito (na cultura organizacional); consolida esses aspectos em um propósito declarado consensual e coletivamente; traduz essa declaração de propósito em uma estratégia que será desmembrada em objetivos estratégicos que englobam o sistema de forma integral (perspectivas interna e externa, individual e coletiva); desdobra cada um dos objetivos em ações com seus indicadores, metas e atividades. Junto com esse processo capacita a equipe interna para desenvolver e promover engajamento à cultura de propósito, que será a base para a execução estratégica.


Metodologia Purpose Mining para Planejamento Estratégico a partir do Propósito

Dessa forma, acreditamos que as organizações conseguem seguir o seu curso deliberado com flexibilidade para adequar estratégias emergentes sem perder a coerência com seu plano inicial, fortalecendo seu propósito e contribuindo para seu próprio desenvolvimento e para o desenvolvimento do todo ao qual é parte.


E você? O que pensa sobre isso? Como o planejamento estratégico de sua empresa tem sido feito? Deixe seu comentário ou mande um e-mail para nós (contato@purposemining.com.br) que teremos prazer em trocar ideia, afinal nosso lema é...

#porummundocommaisproposito



[1] Ver Visão de Mundo em BARRETT, Richard. Coaching evolutivo: uma abordagem centrada em valores para liberar o potencial humano, págs.86-94 e em LALOUX, Frederic. Reiventando as organizações: um guia para criar organizações inspiradas no próximo estágio de consciência humana, págs. 11-51.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARRETT, Richard. A organização dirigida por valores: liberando o potencial humano para a performance e a lucratividade. Rio de Janeiro: Alta Books, 2017.

BARRETT, Richard. Coaching evolutivo: uma abordagem centrada em valores para liberar o potencial humano. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, 2015.

KAPLAN, Robert S. & NORTON, David P. A estratégia em ação: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

LALOUX, Frederic. Reiventando as organizações: um guia para criar organizações inspiradas no próximo estágio de consciência humana. Curitiba: Voo, 2017.

MINTZBERG, Henry et al. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. 2.ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

WILBER, Ken. A visão integral: uma introdução à revolucionária abordagem integral da vida, de Deus, do universo e de tudo mais. São Paulo: Cultrix, 2008.